Como Ser Assistente Virtual

Quanto cobrar pelos serviços de assistente virtual?

Aprenda a calcular o valor da sua hora para poder precificar os seus serviços

Umas das principais dúvidas de quem começa a trabalhar como assistente virtual é quanto cobrar pelos serviços prestados. Muito mais do que um salário mensal, essa conta precisa levar em consideração os custos envolvidos, valor médio de mercado cobrado pelo serviço, reserva de emergência, entre outros fatores.

Nesse post vamos te ensinar, de forma prática, como precificar o seu trabalho.

O que levar em consideração na hora de dar preço ao serviço

A primeira coisa importante de entender é que o valor cobrado pelos serviços prestados envolvem muito mais do que qual o salário que você quer tirar no fim do mês. Existe uma série de custos que precisam compor a conta, por isso, o primeiro passo é fazer uma lista com todos os seus custos, divididos por “pessoais” e “profissionais”.

Os custos pessoais devem ser levados em consideração para formar o seu salário mensal, portanto, precisa cobrir o valor total que você gasta mensalmente com contas como luz, água, internet, aluguel, escola ,mercado, plano de saúde, enfim, todas as suas contas fixas. Além disso, é interessante anotar também gastos variáveis que costuma ter, como aquela ida na padaria no fim do dia ou uma roupa — uma dica é anotar, diariamente, tudo o que você gasta, assim terá uma ideia mais realista de quanto  os seus gastos variáveis representa no mês.

Na outra coluna, de custos profissionais, elenque os gastos que você tem trabalhando de casa: cadeira de trabalho, computador, material de papelaria, custo adicional de internet e telefone, custo com impostos de nota fiscal, entre outros. Aqui é interessante acrescentar dois itens:

Como compor o seu preço

A melhor forma de estipular o preço de um serviço prestado é entender quanto vale a sua hora. Assim, independente da demanda que chegue, você já tem uma base pronta de valor. Comece entendendo quantas horas você está disposto a trabalhar por dia — vamos supor que você quer dedicar 6 horas diárias para serviços de secretária remota. Depois multiplique esse valor por 22, que é a média de dias úteis mensais. Então temos que você trabalhará 132 horas por mês.

Agora pegue todos os seus custos (pessoais e profissionais), some e divida pelo valor de horas trabalhadas. Vamos supor que a soma dos custos deu dois mil reais, esse montante divididos por 132 é igual a 15. Com isso, sabemos que, no mínimo, você precisa cobrar 15 reais pela sua hora. É claro que ninguém quer viver apenas para pagar conta, então some nesse valor uma margem confortável para poder ter uma sobra para viajar, comprar coisas para você, viver de forma tranquila. 

Vamos supor que, com essa margem, o valor da sua hora é 20 reais. Se você recebe uma demanda de gestão de agenda, por exemplo, use o seguinte passo a passo para orçar o serviço:

  1. Entenda quantas horas você vai gastar executando tal serviço, em média;
  2. Multiplique pelo valor proporcional a sua hora;

Assim, se você chegou à conclusão que gastaria, em média, uma hora por dia para executar tal serviço (lembrando que é uma média, tem dias que pode precisar dispor de mais tempo para esse cliente e dias que pode não ter nenhuma atividade relacionada com o serviço), levando em consideração 22 dias úteis e um valor de hora de 20 reais, faça:

Tempo necessário para executar o trabalho por dia x o valor da sua hora x 22.

Nesse caso: 1h x 20 x 22 = 440. O valor mínimo para cobrar pelo serviço mensalmente seria, por tanto, 440 reais. É importante entender que esse preço vai variar de uma assistente virtual para outra, afinal, os custos usados na base do cálculo são diferentes. Portanto, é recomendável que não se compare preços e sim construa um de acordo com a sua realidade e serviço. 

Seja flexível

Como, geralmente, as secretárias remotas trabalham com contratos fechados ou valores mensais, é comum adaptar o preço à situação. Por exemplo, se você presta três serviços para um mesmo cliente, é possível arredondar o valor e oferecer um desconto – dentro de uma margem confortável para você. Assim, é possível criar um vínculo para reter o cliente. 

Sabemos que quando o assunto é precificação, mesmo entendendo a lógica do valor da sua hora, muitas dúvidas surgem. Quer ter acesso a uma roda de conversas com assistentes já consolidadas no mercado e a um material exclusivo para definir sua precificação? No Clube Sou AV você encontra esses conteúdos e muito mais!

Sair da versão mobile